Aprenda a montar um planejamento para o Instagram da sua marca

Aprenda a montar um planejamento para o Instagram da sua marca

por Ana Tereza Moraes

Publicado em 09 de outubro de 2020

Como você já deve saber, estar no Instagram já não é um diferencial, e sim um item obrigatório pra qualquer marca que queira crescer no mercado e aumentar seu reconhecimento online! Mas, pra ter sucesso na rede social, é preciso bem mais do que imagens legais ou um bom volume de posts. Antes de tudo, é preciso um bom planejamento para o Instagram da sua marca e um branding bem pensado.

O branding é um conjunto de ações e definições que vão determinar o posicionamento, propósito, valores e percepção de uma marca. Planejá-lo com cautela pra construir uma estratégia de marketing para redes sociais vai te ajudar a desenvolver uma presença online mais adequada pra sua marca e público, além de te guiar na hora de criar conteúdos que tragam resultados.

Seja pra uma marca que ainda vai fazer sua grande estreia nas redes sociais, ou para aquelas que precisam otimizar sua presença por lá, dividimos esse processo em 5 etapas essenciais pra desenvolver uma estratégia consistente que irá impulsionar o crescimento da sua marca no Instagram.

Nesse artigo, você vai ler sobre como:

  • Determinar objetivos e KPIs
  • Definir a persona e o tom de voz
  • Alinhar as diretrizes de gestão da comunidade
  • Desenvolver uma identidade visual 
  • Otimizar o perfil da sua marca no Instagram
  • Planejar seu conteúdo estrategicamente

Objetivos e KPIs: como determinar os principais

Um erro muito comum é querer usar as redes sociais pra “ver no que dá”. Ok, isso pode até funcionar em alguns casos, mas, pra garantir o sucesso das suas ações no Instagram, a primeira coisa que você deve fazer é parar para definir seus objetivos. São eles que vão te guiar pra construir uma boa estratégia de conteúdo e te dar um norte na hora de analisar as métricas e entender melhor seus resultados.

Alguns dos objetivos mais comuns costumam ser trazer reconhecimento de marca, gerar vendas (diretas ou indiretas), trazer tráfego para o site da marca, estabelecer autoridade no mercado, aproximar o relacionamento com os clientes e criar uma comunidade em torno da sua marca, entre outras opções. Cada caso é um caso, e tudo vai depender do que a marca já tem de história no mercado, do que ainda pretende alcançar e/ou do que ela quer reforçar

Uma vez definidos esses objetivos principais (que não precisam ser permanentes e podem variar a depender do momento vivido pela marca, é claro), é hora de determinar quais serão os seus KPIs.

E o que são KPIs? 

Traduzindo para o português, a sigla significa Indicadores Chave de Performance. São as métricas que você vai utilizar pra analisar se está conseguindo ou não atingir seu objetivo. Por exemplo, se a principal meta pro Instagram é aproximar o relacionamento com os clientes e criar uma comunidade em torno da marca, você pode ficar de olho nas métricas de engajamento como Comentários, Salvos, Compartilhamentos, Curtidas e Respostas aos Stories.

Definindo buyer persona e brand persona

Uma vez definidos seus objetivos, é hora de criar as personas que irão guiar a comunicação da marca nas redes sociais, ou seja, uma representação fictícia, em forma de pessoa, que melhor represente seu público e sua marca em termos de personalidade, motivações pessoais, objetivos, dores e características demográficas. 

A primeira que vamos falar sobre é a buyer persona, que é aquela que define quem é o seu público. No caso da buyer persona, ela não precisa ser única, e pode ser dividida em um pequeno conjunto de arquétipos pra que você consiga representar melhor todo seu público alvo. Pra criá-la, o ideal é conseguir dados concretos sobre seu público, podendo ser a partir de uma pesquisa de mercado ou estudo da sua base de clientes já existente. Cheque a idade média de quem consome ou tem potencial pra consumir seu produto, que hábitos de consumo e de vida normalmente essa pessoa tem, quais são as dores e necessidades dela, gostos pessoais, etc.

Já no caso da sua brand persona, ela deve ser um compilado de tudo que sua marca quer passar pro público em termos de personalidade, valores e visão. Pra criar a brand persona ideal, pense no que ela come, no que ela veste, que tipo de conteúdos ela consome, com o que ela trabalha, o que faz nas horas vagas, qual é a idade dela, que lugares ela frequenta, e por aí vai… Até que você chegue em uma persona concreta e alinhada com o que a marca deseja transmitir, sempre levando em consideração as suas buyer personas e o que as levaria a se identificarem e se sentirem atraídas pela sua marca. 

Definindo o tom de voz da marca

Uma vez definidas as características da sua brand persona, é hora de pensar em uma informação muito importante sobre ela e que vai pautar toda a criação de conteúdo e as interações de agora em diante: o tom de voz!

Como a sua marca fala? Ela é mais engraçada ou mais séria? Usa termos mais técnicos ou gírias? Ela fala em primeira pessoa ou em terceira? Determine tudo isso de forma clara pra ampliar a percepção da sua brand persona pro público.

A Netflix é um grande exemplo de tom de voz bem definido. A plataforma de streaming costuma falar em primeira pessoa, tanto nos seus posts quanto nas interações com os seguidores, é sempre engraçada, aposta no uso de memes e não tem medo de ser debochada. 

Tudo isso só funciona bem porque combina com a persona jovem e antenada que a empresa quer passar pro seu público. Pra uma empresa que oferece serviços jurídicos ou de saúde, por exemplo, esse tom já poderia soar irresponsável ou pouco profissional, por isso, é preciso ter muito cuidado com essa definição.

Alinhe as diretrizes de gestão das redes sociais

Esse tópico vale não apenas pras redes sociais em si, mas principalmente pra alinhar o que é feito nessas plataformas com o que é feito em outros canais de comunicação da empresa. O tom de voz é um dos tópicos que devem ser alinhados aqui pra evitar que a marca tenha uma crise de “dupla personalidade” e transforme a comunicação em uma verdadeira bagunça!

Claro, cada canal vai ter sua personalidade (até porque, é bem diferente responder uma mensagem direta com elogios e um comentário público negativo), e é pra isso que vão servir as diretrizes: pra garantir a consistência e a melhor abordagem em diferentes situações.

O tom de voz é um dos itens que deve entrar nessa lista, e uma dica que pode ajudar a mantê-lo sempre alinhado é criar uma tabela de do’s e don’ts (o que fazer e o que não fazer). Nela, você pode criar colunas com expressões e abordagens a serem evitadas ou até emojis que podem ser usados com frequência pra dar mais personalidade à sua comunicação.

Você pode também criar uma planilha com algumas orientações de como interagir, do que publicar ou do que fazer em casos de crise. Determine como os comentários negativos devem ser respondidos, onde as dúvidas devem ser tiradas (em comentários públicos ou por direct?), se é pra repostar os conteúdos legais nos quais usuários marcam o @ do seu perfil no Instagram, e tudo que você achar necessário pra criar um alinhamento. Além de ser útil pra produção de conteúdo e pra manter a consistência, ter um registro dessas diretrizes também ajuda na hora de dividir a gestão das redes sociais ou delegar pra outra pessoa.

Desenvolver uma identidade visual

Um dos princípios básicos do branding é a forma como a sua marca quer ser vista, e o que ela quer comunicar pro mercado e pros consumidores. E, como diz o ditado, uma imagem pode valer mais que mil palavras! Por isso, pense bem na construção da identidade visual que você quer aplicar nas redes sociais.

Alguns dos principais pontos a se pensar são:

  • Cores

Já ouviu falar em psicologia das cores? É a teoria que nos explica os sentimentos aflorados por cada cor, cada tom e cada combinação feita entre eles.

Quando você pensa em vermelho, qual é uma das primeiras marcas que te vem à cabeça mesmo em meio a tantas outras que também adotam essa cor? Aposto que é a Coca-Cola! A marca de refrigerantes é um exemplo clássico de um branding bem sucedido e ótimo uso das cores.

O vermelho, ainda mais na intensidade adotada pela marca, está muito associado à energia, paixão, ação, determinação, sentimentos que a empresa consegue trabalhar muito bem no seu conteúdo.

Planejamento para o Instagram: identidade visual Planejamento para Instagram: identidade visual Planejamento para o Instagram: identidade visual

Mas não precisa se prender apenas a uma cor também, tá? Use o que fizer mais sentido pra sua marca! De preferência, eleja uma cor principal e determine uma paleta de cores padrão que converse bem com a escolhida pra ser protagonista. Pense se vai preferir usar tons frios, tons quentes, cores fortes, tons pastéis e no que cada uma dessas escolhas transmite. A Coca-Cola, por exemplo, faz muito uso do contraste do preto, branco e vermelho juntos.

  • Estética:

Quando os usuários entrarem no seu feed, eles precisam ser impactados logo de cara e precisam reconhecer a identidade da sua marca já na primeira olhada. Então pense em que elementos e características você gostaria de destacar e por quê. Determine se você vai priorizar imagens de pessoas reais, fotos de produtos ou ilustrações, se combina mais com a estética da marca trazer muitos elementos em uma só imagem ou manter um minimalismo.

O Instagram do projeto Uma Vida Sem Lixo, por exemplo, aposta no minimalismo no seu Feed pra transmitir muito bem a principal mensagem que a marca quer passar: a da produção mínima de lixo para um mundo mais sustentável. A proposta fica bem clara assim que você abre o Instagram deles pela primeira vez e encontra apenas imagens com um fundo bege, poucos elementos e pouco ou nenhum texto (pra compensar, eles capricham nas legendas!):

Ao pensar no planejamento pro Instagram, pense na estética do Feed Ao pensar no planejamento pro Instagram, pense na estética do Feed

Já o perfil da loja Ziovara não segue uma linha tão organizada quanto a do Uma Vida Sem Lixo, mas ainda consegue trazer harmonia no Feed ao fazer com que todos os posts conversem entre si esteticamente, investindo muito em cores e tentando sempre trazer elementos místicos nas postagens, seja através de fotografias, montagens, ilustrações, ou emojis. 

Ao pensar no planejamento pro Instagram, pense na estética do Feed Ao pensar no planejamento pro Instagram, pense na estética do Feed

Uma ótima opção é desenvolver um moodboard para orientar essa estética que você queira transmitir. Ele funciona como um conjunto de referências visuais que vão servir de inspiração pra o estilo que o feed deve seguir, as paletas de cores e a indicação de filtros que serão usados. Dica extra? O Pinterest vai te ajudar muito nessa seleção.

Aqui no blog, temos um artigo super completo com dicas pra você definir direitinho a identidade visual do seu Feed e conseguir apresentá-la de forma harmônica, criando um Feed mais organizado que vai impressionar os usuários que forem stalkear a marca pela primeira vez. 

Otimize o perfil da sua marca no Instagram

Definir objetivos? Check

Definir persona e tom de voz? Check

Definir diretrizes? Check

Definir identidade visual? Check

Agora é hora de aplicar tudo isso no perfil da sua marca! Cada item do seu perfil – do nome, à bio, às capas dos Destaques – devem traduzir seu planejamento por completo.

Pra começar, lembre do primeiro item desse planejamento: o objetivo! Vamos supor que seu objetivo seja aumentar as vendas ou o tráfego no site da marca. Nesse caso, dê atenção especial a bio e certifique-se de que o link do seu site vai estar disponível por lá! Você pode aproveitar e terminar a descrição da bio com uma chamada para ação convidando os usuários a clicarem lá. 

Se você quiser destacar mais de um link – um pra um blog, outro pra parte de promoções, outro levando mais novidades mais recentes, por exemplo – você pode usar um agregador de links, como o Linklist, que é gratuito, e reunir todos em um só lugar que também tenha a cara da sua marca.

Ainda falando sobre a bio, independente do que você decidir escrever, tente transmitir o tom de voz e persona da sua marca logo ali. Pode ser com algo simples, como acrescentar alguns emojis pra dar mais personalidade ao texto, uma descrição ou frase de efeito que defina bem a proposta da marca!

E não esqueça das capas para os Destaques, IGTVs e Lives – se você tiver esse tipo de conteúdo. Elas também fazem parte da composição do seu Feed e precisam ser pensadas pra combinar com o restante da identidade visual.

Crie conteúdo com base no seu planejamento para o Instagram

Depois de definido todos os seus objetivos, tom de voz e identidade de marca, é hora de começar a planejar o mais importante pra garantir o crescimento de qualquer perfil no Instagram: conteúdo de qualidade!

Na hora de montar um planejamento, tenha seus objetivos e personas em mente pra pensar na melhor forma de alcançar suas metas. Se a ideia é aumentar o engajamento e o senso de comunidade entre os usuários da marca, por exemplo, você pode investir mais em posts interativos. Algumas opções podem ser: usar legendas que terminem em perguntas, criar desafios legais, promover hashtags especiais pros seus seguidores usarem quando postarem algo relacionado a marca, Stories com enquetes, quiz ou um box de perguntas pedindo feedback dos usuários.

Como falamos lá no começo deste artigo, é claro que os objetivos também podem variar ou até ser mais de um ao mesmo tempo, então vá mesclando essas metas ao longo dos posts e tentando criar combinações de conteúdos que te levem ao resultado final. 

Gostou das dicas? 

Agora que você já sabe como montar um planejamento para o Instagram, é hora de colocar em prática todas as etapas que te mostramos aqui – seja pra criar uma estratégia do zero ou otimizar a presença online da sua marca – e começar a produzir. 

Depois já sabe, né? É só deixar todos agendados com o Postgrain pra descomplicar seu trabalho e continuar crescendo no Instagram ⚡️